Mercado do Artesão se torna um caldeirão cultural com a 2ª Festa Literária de Alagoinhas – FLIA que acontece até domingo (27)


24 de novembro de 2022, 20:17

 

Foto: Roberto Fonseca

Até domingo (27) um caldeirão cultural acontece no Mercado do Artesão, com arte literária, teatral, musical, debates, lançamento de livros, palestras e oficinas de produção textual. Tudo isso na 2ª Festa Literária de Alagoinhas, realizada pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo (SECET).

“É um período de efervecência literária em que a palavra está sendo usada de forma bem canalizada, no sentido da produção de sentido, visando, principalmente, a organização de uma ideia que corresponda ao espírito de compreensão do que está acontecendo nesse nosso mundo de hoje, isso que a gente chama de fazer uma proposição com consciência crítica, tema da nossa Festa Literária”, resumiu a secretária de Cultura Esporte e Turismo, professora Iraci Gama.

Foto: Roberto Fonseca

A Abertura Solene, ocorrida na noite de quarta-feira (23), teve Mesa Institucional com a presença da anfitriã, a secretária Iraci Gama, junto com o secretário de Educação Gustavo Carmo (representando o prefeito Joaquim Neto), os escritores Luiz Eudes e Noêmia Alves, a vereadora Jaldice Nunes e o palestrante da noite, o professor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e da Universidade Federal da Bahia (UFBa) Décio Torres.

“A FLIA é um evento que focaliza a leitura para mostrar a importância de discutir ideias, analisar conteúdos e estabelecer relações entre pontos de vista para chegar a uma conclusão”, definiu Iraci Gama, uma das primeiras docentes da Faculdade de Formação de Professores de Alagoinhas, que se tornou o então campus II da UNEB, um dos mais importantes desta universidade multicampi.

No Campus II funciona o programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural, com cursos de mestrado, doutorado e estágios de pós-doutoramento; tema de palestra do professor Osmar Moreira, na tarde de sábado (15h30), seguida da participação ilustre do homenageado permanente da FLIA, que ocupa a cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras: Antônio Torres.

Foto: Roberto Fonseca

No segundo dia do evento, nesta quinta-feira (24), a professora Iraci Gama, com 60 anos de carreira na docência, deu uma palestra sobre Os 50 anos do Curso de Letras (25 anos da FFPA – 1972 a 1997).

“O primeiro vestibular nosso aconteceu em janeiro de 1972. Nesses 50 anos muita coisa aconteceu. Então dividimos a homenagem ao curso de Letras em dois momentos: os primeiros 25 anos e o segundo momento que é a atualização do curso, com o Pós-Crítica que é um curso único no Brasil.

Foto: Roberto Fonseca

A programação contou também com uma Oficina de Produção Literária, com a escritora e presidente da Casa do Poeta de Alagoinhas (CASPAL) Luana Cardoso. “Admitindo que a leitura e a escrita são duas coisas fundamentais que estão unidas na formação do indivíduo e a arte como um instrumento para extravasar, liberar a mente. Uma escrita que salva e que liberta”, diz Luana Cardoso.

A secretária Iraci Gama chamou a atenção da juventude, em especial, para que se saiba o valor de se ter um ponto de vista próprio e autenticidade no que se diz e no se que faz. “O conteúdo que está em nós, em nossa cabeça, representa sempre um conjunto de elementos que se relacionam no nosso entorno, então a gente trabalha com a leitura de mundo que precede a leitura da palavra, na perspectiva de Paulo Freire.

Foto: Roberto Fonseca

Nesta sexta-feira (25), às 10h30, acontece a Oficina de Cordel, com José Olívio, escritor, cordelista e fundador da Casa do Poeta. Pela tarde,  com saída às 16h da Biblioteca Municipal Maria Feijó (sede da SECET), acontece a Caminhada Cultural rumo ao Mercado do Artesão, visando resgatar eventos tradicionais de Alagoinhas.

E com a presença de profissionais da escrita literária, sejam eles contistas, jornalistas, poetas ou romancistas, “não importa a linha que ele tenha escolhido, mas o trabalho com essa palavra produzida que nos leva a um contexto de comparações internas e externas”, lá ocorrerá a Abertura do Salão de Literatura, com sessão de autógrafos e intervalos musicais com flauta doce, violino e sax. “Vamos fazer essa intermediação O escritor pode usar da palavra e depois, um instrumentista toca uma melodia e assim a gente vai misturar essas várias artes no espaço do Salão de Literatura”, explicou Iraci.

Foto: Roberto Fonseca

Ela lembrou a realização das oficinas de Produção Literária e de Cordel, voltadas para os estudantes do município, cujo resultado será apresentado na manhã de sábado (26), no palco do Mercado do Artesão.

No domingo (27), aniversário da escritora Maria Feijó e encerramento da FLIA, acontecerá a palestra “História e Memória de Alagoinhas, pelos escritos de Maria Feijó: 1979 a 1988”, com o professor da UNEB Jorge Damasceno e a participação dos acadêmicos Belmiro Deusdeth, Maria José Oliveira e Roque Costa que conviveram com a escritora homenageada; haverá, também, a participação da comunidade do Hip-Hop, com seus repentes criativos, a partir de um tema e a presença honrosa do escritor Antônio Torres, nessa homenagem à Maria Feijó.

Fotos: Roberto Fonseca

 

 

 

← voltar

 

Para queixas, sugestões e elogios, clique aqui.